Interbrand - Creating and managing brand value

Voltar ao topo
Postado por
Carlota Braga
em

Ideias que saem do papel

Novo livro de Bob Wollheim explora o caminho das pedras do novo empreendedor.

0
Bob Wollheim é um cara da internet. Fundador da plataforma youPIX, o maior hub de cultura internética dos últimos tempos, atualmente lidera a frente de Comunicação Digital do Grupo ABC (do qual fazemos parte) e está lançando, junto com o jornalista Dony De Nuccio, um novo livro na próxima terça, 31/5: “Nasce um empreendedor”.
E você deve estar pensando, o que a Interbrand tem a ver com isso?
Bom, se o fato de empreendedorismo estar diretamente relacionado ao universo das marcas não bastasse por si só, nosso diretor Beto Almeida foi convidado por Wollheim para escrever um capítulo sobre a criação de nomes de marcas, o famoso Naming.
Fizemos algumas perguntas para o cara, que vão servir para você que está pensando em empreender.

Em um tempo em que a internet tecnicamente “empodera” muita gente, qual é o grande pulo do gato (principalmente para os jovens) entre ser um entusiasmado e um empreendedor, de fato?

BW: É a execução, ou seja, sair do ppt ou do keynote e ir pro CNPJ e pro dia-a-dia. Executar, mesmo que seja um MVP  (produto viável mínimo) real, faz toda a diferença. E como fazer isso? Coragem, determinação e sem medo de arriscar. E, claro, sem loucuras, se preparando o máximo possível.

Qual é o primeiro passo para sair do território do sonho e partir para a ação?

BW: Acho que é querer isso. Muito papo, muita palestra, muito evento são ótimos como preparação, mas tem uma hora que precisa pular! ;-)

Por que empreender é um bom negócio?

BW: Pergunta de 1 milhão de dólares…. e a resposta é que na maior parte das vezes NÃO é um bom negócio. Ou seja, é uma viagem tensa com mais chances estatísticas de fracasso do que de sucesso. Mas então, porque eu recomendo? Porque é uma experiência muito realizadora e mesmo quando dá errado – se for feito com cuidado – pode ser muito bom, faz crescer, amadurece, cria calo e faz a vida valer a pena.

Três marcas que te representam nos dias atuais e por quê?

BW: Putz, aqui fica tenso de responder. As marcas estão meio ruins nisso… eu diria que algumas digitais me representam mais do que as mais mainstream… tipo Peeble dos relógios, o AirBNB e talvez a Y Combinator, coisas bem B2B.

Uma dica daquelas pra quem quer abrir o próprio negócio, valendo!

BW: Empreender é foda, mas é foda! Ou seja, faça, mas se prepare.

Leitura relacionada
0 Comentário(s)
Loading... Comente

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *


*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Voltar ao topo
Postado por
Carlota Braga
em

Os bastidores da LATAM Sans

0

Se você acompanha o nosso blog, provavelmente já teve contato com diversas etapas do desenvolvimento da identidade da LATAM, desde a criação do logo até a pintura dos aviões, propriamente ditos.

Entrevistamos o tipógrafo Daniel Sabino, da Blackletra, parceiro responsável pela criação da família tipográfica exclusiva, que nasceu junto com a marca. Desde o início, a LATAM Sans teve o objetivo de traduzir em cada detalhe o conceito de warm inside da LATAM, que nada mais é do que o jeito caloroso de ser do latinoamericano.

LATAM Sans mal nasceu e já foi selecionada, entre inúmeros trabalhos, para a principal vitrine do universo da Tipografia: o Tipos Latinos 2016, sétima edição da Bienal de Tipografia Latinoamericana.

Dê o play e confira a entrevista.

Entrevista com Daniel Sabino, typedesigner da LATAM Sans from Interbrand SP on Vimeo.

 

(vídeo: Erick Fugii)

Leitura relacionada
0 Comentário(s)
Loading... Comente

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *


*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Voltar ao topo
Postado por
Carlota Braga
em

Claudio Edinger fala sobre a arte de criar a marca LATAM

0

(por: Janine Stankus tradução: Camilla Cossermelli)

Uma compahia aérea nos ajuda a encontrar nosso lugar, a focar e entender quem somos. E, nos levando a lugares longe da nossa zona de conforto, expande nosso próprio conceito de identidade.

As imagens do fotógrafo Claudio Edinger se imprimem na sua mente: as fotografias são carregadas de presença, não apenas das pessoas e lugares que captura, mas também de seu observador. Seu foco seletivo, uma técnica que virou sua marca registrada, convida o público a conversar com sua obra. Algumas de suas imagens mais memoráveis são cenas icônicas como a da

bohemé de Nova Iorque, o Chelsea Hotel e a Venice Beach de Los Angeles, ambas no final dos anos 70 e início dos anos 80. Edinger mergulha fundo em espaços que transbordam emoção – como  os registros de um hospício – e viaja o mundo explorando os corações de grandes cidades e capturando a alma de cada lugar fotografado.

Faz sentido que a LATAM tenha procurado um artista brasileiro para ajudar a criar uma marca que se tornaria instantaneamente memorável.  O novo Grupo LATAM Airlines mirou construir uma identidade visual que definiria a nova companhia aérea enquanto desenha sobre as raízes latino-americanas das duas marcas. Edinger, por sua parte, mantém fortes conexões pessoais e artísticas com a região – e com viagens. Nascido no Rio de Janeiro, iniciou sua carreira na fotografia em São Paulo em 1975 e passou décadas explorando o mundo por meio de sua lente. Em 2000, o fotógrafo voltou ao Brasil para trabalhar em seu ensaio fotográfico em andamento, começando com

Rio, um estudo em preto e branco de sua cidade natal, publicado em 2003.

Para Edinger, as fotos para LATAM são parte de seu ensaio pessoal – e é um trabalho do qual se orgulha, particularmente. O projeto de branding (seu primeiro) o levou a locais no Brasil, na Argentina, no Chile, no Peru, na Colômbia, no Uruguai e no Equador. O trabalho é distintamente do Edinger –

fine art que transcende meras propagandas de viagem. Não há metrópoles glamurosas ou paisagens exageradas de praias, exibindo turistas sorridentes. Cada foto oferece uma visão aérea impressionante, porém intimista, de algum canto da América Latina, enquadrada de uma forma que literalmente impele o observador a explorar a cena.

As fotos foram selecionadas pelo diretor criativo da Interbrand São Paulo, Sergio Cury, e representam o espírito da nova LATAM – complementando o logo, o design do livery e experiências sobre as quais a Interbrand desenvolveu a nova identidade. Somos privilegiados não apenas por colaborar com Edinger, mas por também conversar com ele sobre seu trabalho recente no projeto. Edinger dispõe de insights fascinantes sobre como artistas e marcas podem se beneficiar ao trabalharem juntos – ambos podem construir conexões mais fortes com as pessoas e obter um conhecimento mais profundo sobre si mesmos.

Leia a entrevista a seguir:

Como você se envolveu com a LATAM? Você já trabalhou com branding dessa forma antes?

A Interbrand fez contato comigo – sou muito envolvido em trabalhos de fine art, produzindo obras que me interessam e vendendo a colecionadores por meio de três galerias diferentes no Brasil. Eu nunca fiz nada assim antes.

Como você se organiza para casar a fine art com o branding? Você tem a mesma liberdade criativa nesse contexto que você tem com seus outros trabalhos?

Houve um momento em que ambas as necessidades – as de LATAM e as minhas próprias – convergiram. Nos últimos vinte anos, tenho desenvolvido uma narrativa pessoal que foca no significado de identidade. Por vinte anos vivi e trabalhei na cidade de Nova Iorque. Depois de tanto tempo longe de casa, meu trabalho se centrou na busca sobre o que significa ser brasileiro. Fotografar a América Latina expandiu minha busca de uma forma maravilhosa. Descobri que nossos vizinhos também ajudam a determinar quem somos.

Muito de sua fotografia explora as conexões entre pessoa e lugar. Há algo nessa conexão que seja importante ao contar a história da marca LATAM?

Acredito que uma companhia aérea faz exatamente isso: nos conecta aos lugares – e esses lugares determinam quem realmente somos. De uma forma, uma companhia aérea é como o sangue que flui nas veias do mundo, que mantém o corpo – o planeta – vivo e em constante evolução.

Seu foco seletivo carrega certo simbolismo ou significado no contexto dessas duas marcas se unindo?

A maioria das pessoas não percebem, mas o foco seletivo é como a gente realmente vê as coisas. Ao ler esse texto, você foca nas palavras e no lugar sem qualquer esforço e todo o resto fora de foco. Vemos tudo focado e desfocado ao mesmo tempo – esse é o paradoxo da visão. Uma companhia aérea nos ajuda a encontrar o nosso lugar, nos ajuda a entender quem somos. E, nos levando a lugares longe da nossa zona de conforto, expande nosso próprio conceito de identidade ao mesmo tempo.

Quais foram os maiores desafios criativos desse projeto? Qual foi o aspecto que você mais gostou?

Fotografar lugares que já foram fotografados tantas vezes, só que com novos olhos e uma nova abordagem. Isso é o que me interessa: as infinitas possibilidades de fotografar lugares conhecidos. É muito bom descobrir a magia da fotografia em ação e as intermináveis possibilidades visuais de todos os lugares.

Como uma pessoa inspirada por viajar intensamente, como você descreveria a conexão que as pessoas têm com marcas de companhias aéreas?

As companhias aéreas podem ou realizar ou estragar sua viagem.

Parece que as marcas estão se esforçando mais do que nunca para se conectar com as pessoas do mundo real. Você acha que artistas podem ajudá-las a fazer isso mais efetivamente – e mais autenticamente?

Sim. Artistas procuram por respostas. Têm o objetivo de levantar questões importantes sobre quem somos. Estão em constante movimento e isso reflete em seu trabalho. Assim como as companhias aéreas, estão em fluxo constante. Temos muito em comum. Amamos voar, em todas as direções. Quebrando todas as regras – eu, especialmente, gosto de desafiar a lei da gravidade.

 

Leitura relacionada
0 Comentário(s)
Loading... Comente

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *


*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Voltar ao topo
Postado por
Carlota Braga
em

Sicredi – uma marca que faz a diferença

1

Ser colaborativo nunca foi tão moderno quanto hoje. São pessoas que se juntam com as mais diferentes histórias por um mesmo objetivo: melhorar o futuro e a vida em sociedade como um todo.

E se a gente dissesse que um modelo assim já existe há mais de 100 anos?

Existe. E propõe um jeito mais humano e engajado para cuidar da sua vida financeira. Nós estamos falando do cooperativismo. Nós estamos falando do Sicredi.

O Sicredi foi a primeira instituição financeira cooperativa do Brasil. Nasceu no Rio Grande do Sul e hoje já está em todas as regiões do país, com mais de 3 milhões de associados. E o mais valioso: continua engajado com o impacto positivo do seu negócio em cada uma das regiões.

Ontem (09/05/2016), o Sicredi inaugurou a sua primeira unidade no coração financeiro do país: a Avenida Paulista. E a nova unidade já vem com cara nova. A marca que, a partir de 2017, será o cartão de visitas do Sicredi em todas as regiões.

Uma identidade assinada por nós, aqui da Interbrand, mas que foi criada do jeito que o cooperativismo pede e merece: a muitas mãos e cabeças.

(Texto: Pedro Kastelic)

Leitura relacionada
1 Comentário(s)
Michael
A alternativa para a vida financeira em São Paulo tem nome e endereço: Sicredi Avenida Paulista 923. Experiente o que há de mais moderno e inteligente prava utilzacão de produtos e serviços financeiros. Sicredi, gente que coopera cresce, porque um mundo melhor a gente faz juntos!
Loading... Comente

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *


*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Voltar ao topo
Postado por
Carlota Braga
em

Super Best Brazilian Brands

0

Começa o Jogo. Mais de cem competidores de peso ficam cara a cara com os nossos juízes de marca. A disputa é acirrada. As regras são claras e garantem um jogo justo. O processo é longo e leva em conta informações em tempo real. Cada ponto conta, marcas trocam de posição a cada fase. No fim, chegamos aos vinte e cinco campeões.

Ufa!

Parece um cenário de final de Copa do Mundo, mas é mais ou menos assim que, todos os anos, a nossa equipe de estratégia da Interbrand define o placar das marcas mais valiosas do Brasil. Essa emoção toda já faz parte da nossa rotina e é motivo de muito orgulho para quem trabalha aqui. Pensando nisso, resolvemos dividir um pouco desse processo com todo mundo. Transformamos o nosso ranking no Super Best Brazilian Brands 2015, um jogo de cartas para brincar com e sentir o gostinho de conhecer e analisar grandes marcas brasileiras.

Tudo isso foi inspirado no clássico jogo de cartas Super Trunfo, quem se lembra? As cartas do Super Best Brazilian Brands 2015 representam os atributos de cada uma das vinte e cinco marcas mais valiosas do ranking. Valor de Marca, Performance, Likes no Face e ano de Fundação são as quatro categorias em que as marcas competem entre si. A cada rodada, o primeiro jogador escolhe um atributo que será comparado com os valores dos outros jogadores e 

quem tiver o melhor valor ganha todas as cartas da rodada. Vence o jogo quem ganhar todas as cartas do baralho.

Para entender melhor as regras do jogo, assista o vídeo:

Super Trunfo – Best Brazilian Brands 2015 from Interbrand SP on Vimeo.

Um pouco mais sobre as Best Brazilian Brands

A metodologia de avaliação de marca da Interbrand foi criada em 1988, em parceria com a London Business School, e trata a marca como ativo estratégico, capaz de criar reconhecimento, diferenciação e valor para uma empresa.

Desde 2001 , o nosso escritório aqui de SP publica o ranking das Marcas Brasileiras Mais Valiosas, com as marcas que mais se destacaram no ano.

A Interbrand leva em conta as diferentes formas que uma marca pode influenciar o desempenho de uma empresa, desde o impacto nos consumidores, passando pelos funcionários, fornecedores e investidores. Temos a primeira metodologia a atender aos requisitos internacionais do ISO 10668.

A análise se baseia nos seguintes pontos:

- Análise financeira, ou seja, o lucro em dinheiro da empresa;

- Papel da marca, que estima a importância da marca na hora que o consumidor vai comprar;

- Força da marca, que é a capacidade da marca em criar lealdade e garantir consumidores fiéis, que voltar a comprar a marca.

Acesse Ranking Marcas para saber mais.

(texto: Tais Scaroni vídeo: Erick Fugii e Pedro Kastelic)

Leitura relacionada
0 Comentário(s)
Loading... Comente

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *


*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Voltar ao topo
Postado por
Carlota Braga
em

POR DENTRO DO PRIMEIRO VOO DA LATAM

0

por Gil Bottari, Gerente de Criação na Interbrand

São Paulo, 06 de maio de 2016

Ontem foi o primeiro voo do Gil. E também o primeiro voo do Danilo, do André, do Leandro, da Daniella, do Fábio, da Erica, do Beto…

Seria injustiça citar apenas alguns nomes, afinal ontem foi o primeiro voo da Interbrand a bordo da LATAM Airlines, que já nasceu grande para estar entre as maiores do mundo.

É difícil descrever o quão emocionante foi fazer parte dessa viagem. Afinal, foram exatos dois anos de muito suor dedicado a um projeto incrível e grandioso. Carreguei comigo um pedacinho de cada um que participou de alguma maneira da construção dessa nova marca (e não foram poucos). Cada palpite, discussão, “DR”, noite em claro, conquista, cada suspiro de tensão, alívio ou alegria estiveram a bordo da poltrona 4L do voo JJ8118 da LATAM, que foi de São Paulo com destino a Santiago, no Chile. E eu, orgulhosamente, tive o privilégio de representar a Interbrand.

 

O dia começou cedo, aliás, começou ontem, pois a nossa equipe de

environmental design esteve nos principais aeroportos onde a marca está sendo implementada para garantir que tudo estivesse alinhado e lindo para a virada. E deu certo. Chegando ao terminal 3 do Aeroporto de Guarulhos já dava pra ver as novas lojas e a sinalização dos balcões de atendimento com a nova identidade completa: cores, tipografia, grafismos, ícones e mensagens.

Após o check-in, o novo logo LATAM já aparecia nas telas com as informações dos próximos destinos. Mais alguns passos e o avião apareceu estacionado no pátio. Nesse momento, muitos sentimentos vieram à tona. Os mais próximos a mim sabem que trabalhar em um projeto de uma companhia aérea era um antigo sonho, que acabou se materializando da melhor maneira possível: na construção da maior companhia aérea da América Latina. 

A aeronave do primeiro voo comercial da LATAM foi um modelo 767-300-ER. Sim, eu que até pouco tempo atrás tinha um certo de medo de voar, me tornei um

geek completo no assunto e um apaixonado por aviação. Alguns termos como

winglet, ângulo de ataque, A319, A320 e A321, retrofit e estabilizador horizontal agora são temas de conversas de corredor. 

Abro espaço para mais uma curiosidade: além do conceito do design do avião desenvolvido pela Interbrand, tivemos o prazer de acompanhar todo o processo de pintura das aeronaves, que aconteceu nas últimas semanas no México, Costa Rica, São Carlos e nas fábricas da Boeing em Seattle e da Airbus em Hamburgo e Toulouse. 

Selfie com a tripulação? Vale também!

No portão de embarque, toda uma ambientação especial foi preparada para receber os primeiros viajantes. Enfim, a nova identidade ganhou vida. Lá já estavam a equipe de marketing da LATAM, com a qual construímos uma parceria incrível e também toda a tripulação já com os novos uniformes. Momento de tirar fotos, comemorar, distribuir sorrisos e observar os passageiros curiosos.

As 8h05, pontualmente, foi feita a chamada para o voo, agora LATAM Airlines, e enfim chegou a hora de embarcar. A tripulação, muito simpática, estava à nossa espera com alguns mimos, como um kit de boas-vindas com um moleskine (que fique em segredo, mas tive que pegar alguns a mais pra levar pra São Paulo). Deu pra ver também que os encostos de cabeça e alguns itens do catering já tinham a aplicação da nova marca.

9h05: enfim decolamos de verdade! Uma sensação única e indescritível. A LATAM estava voando.

Logo depois do anúncio de desafivelar os cintos, outro momento marcante: a comissária de bordo Helô, com 22 anos de TAM, fez um discurso emocionado, descrevendo todo o sentimento e a expectativa dos funcionários em relação a esse dia tão marcante na linha do tempo de LAN e TAM. Todo o avião aplaudiu o discurso e em seguida foram distribuídos cupcakes com a marca LATAM. ;)

A convite da companhia, também estiveram neste voo alguns brand lovers e rolaram até entrevistas nas alturas. Até eu acabei dando uma palavrinha e contei um pouco da experiência do projeto, sob o ponto de vista da Interbrand.

Chegando em Santiago, outra surpresa – uma recepção especial na pista, com o tradicional batismo e, na saída, todos os passageiros foram presenteados com maquetes do novo avião. Uma recordação e tanto.

Assim como em São Paulo, o aeroporto de Santiago estava transformado com a nova identidade. Agora podemos dizer de fato que a LATAM nasceu!

Nesses últimos dois anos, vim muito a Santiago. Vi as cordilheiras ficarem brancas, ficarem limpas e agora vejo os primeiros sinais de neve novamente. Mas dessa vez foi realmente diferente. Passou um filme na minha cabeça e relembrei quantas vezes tive que deixar a família em casa em prol desse projeto. Mas no fim, veio a melhor das recompensas: desta vez, consegui que a minha esposa, que tanto me apoiou durante este período, estivesse comigo a bordo desse sonho. O sonho LATAM, de levar a América Latina cada vez mais longe.

Agora é hora de curtir Santiago, dessa vez a lazer!

#vamosLATAM

Leitura relacionada
0 Comentário(s)
Loading... Comente

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *


*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Voltar ao topo
Postado por
Carlota Braga
em

LATAM trouxe a Tocha Olímpica para o Brasil

0

A LATAM Airlines, que decolou na semana passada conforme contamos aqui,

 é a apoiadora oficial dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016 e apoiadora oficial do Revezamento da Tocha Olímpica Rio 2016.

E hoje, a bordo do primeiro voo da LATAM, acaba de chegar em Brasília a Tocha Olímpica. 

Além de participar do processo de construção de identidade da marca e do design das pinturas de todos os aviões da LATAM, a Interbrand também ficou muito feliz em desenhar os aviões especiais para o tour da tocha. São duas aeronaves diferentes, que ganharam uma pintura especial: o modelo maior, o 767-300ER é o que chegou hoje de Genebra, com a tocha, no Aeroporto Internacional de Brasília. Uma vez em terras brasileiras, a Tocha vai passar por todo o Brasil durante o período de revezamento, a bordo do modelo A319. No total, a viagem vai cruzar em torno de 10.000 milhas até chegar na cidade maravilhosa no dia 5 de agosto.

O conceito do design teve o desafio de harmonizar a identidade do revezamento da Tocha com o design das novas aeronaves LATAM, além de levar a mensagem do espírito olímpico para todo o Brasil e o mundo.

:)

(Colaboração: Gil Bottari Texto: Taís Scaroni e Carlota Braga)


Leitura relacionada
0 Comentário(s)
Loading... Comente

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *


*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Voltar ao topo
Postado por
Tais Scaroni
em

Sobre redes e classes sociais

0

Hoje foi dia de ABC CDE Talks, lá no espaço Cubo do Itaú. Um evento organizado pelo Grupo ABC com ideias, dados e casos sobre cenário digital dentro das classes C, D e E.

Para falar disso, ninguém melhor que Dinho França, empreendedor que aprendeu dentro da Favela de Maré a navegar nas ondas do mercado digital. Dinho foi mediador de conflitos no grupo cultural 

AfroReggae e lá aprendeu a falar de perto com moradores, artistas urbanos, policiais e até mesmo traficantes. Isso abriu os seus olhos para as ideias e as diferentes realidades na periferia e também para a força e importância das redes sociais para dar voz a essas pessoas.

 

Lá no ano de 2011, Dinho fundou a Dharma ACC, uma agência de comunicação digital que funciona dentro da Maré, mostrando para o mundo que o mercado carioca não é feito só de Zona Sul e Leblon. Além da agência, Dinho também é o fundador da Universidade da Correria, escola que inspira e incentiva a produção de conteúdo e o empreendedorismo social com aulas online e trocas de informação pelas redes sociais.

Durante o bate-papo, Dinho mostrou um estudo complexo sobre esse recorte de classes, o acesso a smartphones, aumento de redes 3 e 4G, aumento de produção de conteúdo e também os temas sociais mais recorrentes, que permeiam classes e geram cada dia mais debates.

Tá. Mas o que as marcas têm a ver com isso? Tudo.

 Na comunicação, muito tem se falado sobre Branded Content, marcas que pensam, defendem ideias e têm muito para nos contar. Por que não aproveitar e impulsionar conteúdos produzidos e pensados diretamente pelo seu público?

Foi pensando justamente nisso que a Coca-Cola convidou o Dream Team do Passinho, um grupo de funk formado por jovens da periferia do Rio de Janeiro, para participar do clipe/comercial “Aperte o play”.

É só assistir o vídeo abaixo que você vai entender melhor o que estamos dizendo.

Como será o futuro da publicidade, do jornalismo, da mídia, enfim, da comunicação em geral nesse cenário? Ainda não sabemos muito bem. E, segundo ele próprio, nem o Dinho. Enquanto isso, a gente aproveita o mundo digital para conhecer novos pontos de vista, se inspirar por pessoas que moram nos lugares mais afastados, pensar e repensar os nossos conceitos e preconceitos, levando novos insights para o mundo das marcas. 

Texto por Taís Scaroni.

0 Comentário(s)
Loading... Comente

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *


*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>